Diferenças na informática

Por paulohenrique

Bem, hoje escrevo em um outro sistema. Sim, amigos, voltei para o Windows depois de mais de quatro anos em um iMac mais que maravilhoso. Confesso que estou um pouco triste e talvez até arrependido, mas eu não estava tendo espaço para trabalhar em duas máquinas ao mesmo tempo, e o PC que recentemente ganhei de uma grande empresa é bem superior ao meu iMac, que era um bom computador.

Está um pouco complicado ter que acentuar minhas poucas palavras, pois no sistema da Apple o processo é um pouco diferente e, quando estou aqui, expressando minhas poucas palavras, quando existem as que tenho que acentuar, acabo fazendo um processo meio errado e a palavra não sai com seus acentos.

O incrível dessa troca de equipamento é que, na verdade, o iMac era de 27 polegadas. Para eu trabalhar no desktop novo era necessário um monitor. Sendo assim, me trouxeram um de 20 polegadas. Por favor, não estou reclamando, muito pelo contrário, agradeço até, mas está dando uma diferença muito grande do que estou acostumado.

Bem, agora é só novamente se envolver com um sistema que nesses dois dias já recebi um monte de mensagens de erros de programas e que tal programa parou de funcionar. Ontem mesmo eu estava aqui instalando o iTunes quando de repente vem uma mensagem dizendo que há uma nova atualização do sistema e que, por ser uma atualização que pode demorar um pouco para terminar, fica a meu critério querer ou não reiniciar o computador.

Bem, esperei que minha biblioteca musical finalizasse de baixar e assim que todas as músicas vieram, reiniciei. Realmente, não mentiram quanto à demora daquela atualização, pois quase uma hora depois finalizou e não vi diferença nenhuma.

Mas aqui estou em um sistema que mesmo em sua recente versão 10 me faz lembrar dos momentos iniciais no universo da informática. Logo no início da década de 1990, um pouco cansado do Atari ou Phantom System, não me lembro ao certo quais destes consoles eu tinha naquele momento, eu senti que estava faltando algo. Comecei a pensar que eu tinha que progredir, conhecer outras tecnologias, e então escrevi uma carta na oportunidade de conseguir um computador.

Mas essa história muitos já devem saber: meu primeiro computador foi um MSX e daí em diante fui atrás de novos jogos que poderiam me divertir. Para esse computador quase não havia cartuchos. Os jogos eram gravados em pequenos disquetes azuis com etiquetas já anunciando serem cópias não autênticas. Eu tinha muitos disquetes com muitos jogos mas, com o tempo, eles estragavam e não eram mais úteis.

Vivi um bom tempo com aquele MSX que até hoje deixa saudades. Poucos anos depois ganhei meu primeiro PC e com o Windows 3.1 comecei a me envolver com cada detalhe desse sistema que domina o mundo.

Havia um sistema instalado no Windows chamado DOS e nele mesmo tinha muito jogos que hoje são relíquias! É interessante observar e seguir o caminho desse universo tecnológico sendo que, como vocês sabem, sou um gamer e apaixonado por jogos. Eu quero jogos e sempre os terei por perto.

Meus primeiros PCs não tinham grande capacidade. Sendo assim, muitos jogos que eu conseguia não rodavam por uma série de fatores, seja falta de memória ou pouco espaço no HD, que na época, eu tinha um de 150 megas.

Sabe, vendo tudo isso, comparo com situações comuns de nossas vidas. Em momentos estamos acompanhados por pessoas que tem certos pensares e você de alguma maneira tenta se envolver e até mesmo compartilhar de suas idéias. De repente o tempo passa e tudo se renova e o que ficou para trás é apenas lembrança de sua inocência, pois hoje tudo é bem diferente do que você estava acostumado.

Bem, tenho medo de certos retrocessos. Quer dizer, não que essa troca tenha sido um passo para trás, pois na verdade, como eu disse logo acima, esta máquina que estou agora é bem mais avançada que o iMac que eu tinha. Mas, de  certa maneira, para mim, dei um passo para trás pois a tela é menor, mas isso logo passa.

Computador Apple em 1984

Mas agora existe uma grande vantagem: todos os jogos que tenho rodam nesse computador. No iMac a biblioteca de jogos é bem limitada e sempre que na Steam (a rede social de gamers) tinha uma promoção de um jogo que eu queria infelizmente só rodava no Windows e assim deixava de comprar.

Nossa, como tudo agora é diferente e ao mesmo tempo tão antigo. Aqui estou escrevendo meu texto no Word e olhar para ele me faz lembrar daquele clips animado nas versões antigas do Office. Que assistente chato era aquele, hein?

Outra grande vantagem é que agora vou poder voltar a trabalhar no meu software 3D preferido, o Maya, já que nas versões recentes do sistema operacional da Apple ele não rodava.

Bem, tudo foi uma grande e bela experiência. Para aqueles que não conhecem, o Mac OS é muito bom, quase não dá erros, mas tem seus limites de compatibilidade com a maioria dos jogos. Já o Windows é bem farto com tudo que há no mercado, mas ainda é frágil em sua estrutura.

Muito obrigado Apple por me permitir conhecê-la e assim me tornar um apaixonado pela maçã mordida.