Cinquentenário Eu?

Por paulohenrique

Estou às véspera de uma data, para mim, muito importante. Não se trata de um evento ou a vinda de algum famoso ou estrela de Hollywood. Se bem que posso afirmar que essa semana que se segue irei para um evento de games, para mim, a maior feira de entretenimento da América Latina, a Brasil Game Show, mas este texto é dedicado a outro grande acontecimento em minha vida.

Quando vim para cá, há 48 anos, foi uma época amarga para as vítimas de Poliomielite. Muitas crianças com febre intensa e fraqueza no corpo vieram para este instituto em busca de melhor tratamento para essa doença que, hoje, de certa maneira, encontra-se esquecida.

Porém, jamais devemos baixar a guarda acreditando que estamos livre desse mal. Sem que a gente espere, um novo foco pode surgir e vitimizar qualquer um, seja criança ou adulto.

Eu sei que a Polio devasta esses países em guerras constantes. Os pequenos que vivem em meio a um mundo em caos, além das ameaças de armas e explosivos, vivem às margens de um vírus invisível a olho nu, mas, ao entrar em seu organismo, pode gerar problemas catastróficos.

Havia muitas crianças naquela época de minha inocência, e muitas delas, não suportando a crueldade dessa doença, não resistiram e vieram a falecer. Para os médicos que lutavam, investiam tudo para que essa epidemia fosse erradicada. A estimativa de vida daqueles que eram acometidos por este mal era de apenas dez anos de vida.

Eu mesmo estava entre estes à espera de a qualquer momento dar o meu adeus. A Polio me sentenciou à morte sem me dar a chance da escolha de qual caminho eu queria percorrer.

Porém, hoje, às vésperas de meus 50 anos de idade, olhando para trás, vejo milhões de espelhos que refletem memórias de tempos remotos. Vejo um ser que lutou por suas conquistas, enfrentou outras grandes doenças que quase os levaram para o além. Vejo um espelho que me revela um momento em que quase entrei neste túnel da vida, no qual, próximo dele, as luzes ao meu redor começaram a se apagar, levando junto meus sentidos. Nas mãos de um médico volto à vida e, com imenso agradecimento, dedico-lhe meu imenso amor e respeito.

Hoje, com meus 50 anos, dou um belo sorriso a estes espelhos em minha frente, os quais deixam sentimentos de saudades de momentos em minha vida que tanto se fizeram presentes.

Tudo aqui aprendi, vivi e conquistei. O caminho que devo seguir se mostra ainda longo e distante, a cada passo que darei, vem todo o meu imenso amor a tudo que me cerca, aos que a mim se aproximam, aos que a mim ofertam seu doce sorriso, aos que a mim declaram seu amor me dando a oportunidade de, acima de tudo, querer muito viver.

Estou vivo, e a você eu agradeço por fazer parte de minha vida, por agora, neste exato momento, você estar comigo, estar me fazendo feliz. A quem quer que esteja lendo estas minhas poucas palavras, tenham a certeza de que tudo que sou, vem de minha vontade de viver.

As lágrimas que em minha face desceram, foram marcas de aprendizado e conhecimento, de uma dor dilacerante de grandes perdas às quais ergo minhas mãos, implorando seu retorno.

Para mim, 50 anos reflete muita coisa, 50 anos luz de um aglomerado de estrelas na certeza de outras raças, outras vidas. 50 anos podem ser apenas um segundo para este imenso universo que nos cerca. 50 anos pode ser o inicio de um novo nascer onde tudo se renova, onde tudo floresce. 50 anos, pode ser o infinito, onde as luzes de milhões e milhões de astros sãos testemunhas de sua jornada sempre em frente, onde jamais irá desistir e, sim, caminhar para além do que somos capazes.

50 anos, estou aqui, parece que passou muito pouco, mas ainda tenho muito mais a viver.