Labirinto de Egos

Por paulohenrique

Estou nesse exato momento diante de uma página branca, que aos poucos vai se tornando testemunha de minhas poucas palavras, mas que refletem grande emoção.

É complicado quando estamos enclausurados em nossos medos os quais deixamos nos dominarem e, assim, atrasam os nossos passos, nossas vontades e decisões diante de pouca coragem. Às vezes, me rendo ao cansaço tentando buscar razões de poder entender certas situações que surgem para justamente nos testar.

São situações que muitas vezes nos nocauteiam, em que somente uma pergunta vem à minha mente: por que tem que ser assim?

Mas, tenho certeza que assim é com todos nós. Sempre acordamos frágeis, nos sentindo nus, quando mesmo um agradável bom dia torna-se um ato invasivo.

Sabe? Acho que estou aprendendo, ou vocês podem julgar, estou cada vez mais na aceitabilidade de tudo aquilo que me cerca, da maneira de ser de cada um, e suas personalidades.

Há um vasto labirinto de egos, e com certeza estar dentro dele não somente é entrar no maravilhoso país de Alice, mas também é estar na fronteira entre o céu e o inferno. Se já é assim, somente conosco mesmos, imagine ser obrigado a fazer parte de milhões de egos que lhe cercam justamente por você estar preso em seu corpo inerte, e por muitas vezes estar diante de olhares indecifráveis, que lhe provocam dúvidas entre a bondade e uma sensação incômoda entre o cinismo e o desrespeito.

Sim, tudo isso vem à tona a cada dia que passa. Sua alma se torna apenas uma névoa invisível e, assim, diante de muitas mãos, você se torna um boneco mambembe, o qual você mesmo tem a ideia de que, mesmo calado, já está errado.

A falta de afeto a um ser humano é considerá-lo como uma folha seca, que cai de uma árvore de encontro a uma corrente provocada pela chuva, sem destino.

Estou agora ouvindo muitas vozes, em disputa de suas ideias. Cada um batalhando por sua razão, seu direito acima de todos os outros, sobrepujando até aqueles que não têm condições físicas de lutar.

Sou apenas testemunha de tudo que aqui acontece, vendo as amargas decisões que são tomadas sem ao menos abrir espaço para outras ideias. Cada um se acha superior a todos, e assim, a harmonia é encoberta por uma falsa satisfação.

Mas, tudo não passa de um desabafo, um choro angustiante, por me sentir preso às amarras daqueles me olham com mesquinhez.

A falta de afeto ao ser humano é como se você escorregasse em um precipício; na queda vem o desespero da dor que engolirá sua vida, olhando para algo que se despede, vem a saudade de todos aqueles que lhe cercaram.

Mesmo assim, eu amo a todos. Amo a vida que me foi dada. Amo aos amigos que estão comigo. Amo minha família e irmãos. Amo aqueles que me desprezam.

Não é fácil para mim, muito menos para você. Na verdade, nada é fácil para nenhum de nós, que por mais caminhemos nesse mundo vasto, estamos acorrentados ao que realmente somos, e este nosso ser. Muitos nos ofertam ofensas, que nos causam mágoas, por justamente ir de encontro às ideias daqueles que se acham corretos.

Sejamos sempre aqueles que escutam cada expressão, mas que também nos seja permitido falar de maneira coerente, de forma que possamos criar um mundo melhor para todos.