Um Jogo Dark que eu Amo

Por paulohenrique

Bem, escrever sobre um título de jogo que gosto muito não é nada difícil, pois, como na maioria dos jogos, há uma certa encarnação dos personagens que encontro.

Um jogo no qual estou há quase um ano envolvido já tem sua terceira edição e estou quase no fim da segunda.

Dark Souls, um nome que traduzindo ao pé da letra revela o quanto estamos cercados por almas negras, onde em cada canto há uma sensação de grande perigo.

Conheci esse jogo com outro título, Demon’s Souls, que ganhei de Natal, de um amigo, e não conseguindo entender o seu mecanismo, logo desisti de jogá-lo. Passados cerca de dois anos, as poucas imagens desse jogo não saíam de minha mente. Dava aquela sensação de uma beleza intocável, e meu interesse foi cada vez se fortalecendo mais. De tanto pensar, consegui recomprá-lo usado, pois o que eu tinha ganho, vendi.

Finalizei Demon’s Souls com grande satisfação e a vontade de outros jogos que tivessem o mesmo jeito de jogar. Descobri, então, Dark Souls, e todas as noites me transporto para esse universo obscuro e macabro.

Colocando o disco do jogo no console, tenho que criar um personagem, não somente lhe dando um nome, mas também suas características físicas. Começando por escolher uma classe que definirá seu poder, entre guerreiro, cavaleiro ou espadachim, sempre escolho o dom de mago ou feiticeiro, pois matar seus inimigos com magia mostra um efeito muito lindo.

Geralmente, meus personagens são corpulentos, assim como eu, que já me encontro bem acima do peso. Não procuro criar características faciais próximas à minha, pois, não sou muito bom nas feições, mas crio um personagem geralmente clássico, com barba e bigode e ruivo.

Quando começo o jogo, estou muito frágil, tenho medo de dar qualquer passo e ser atingido por uma longa espada, ou ser nocauteado por um inimigo dez vezes maior do que eu, com uma enorme maça sendo sua arma. Esse personagem que criei em Dark Souls II tem o nome do personagem principal da trilogia dos Espinhos, Jorg Ancrath, e mesmo depois de milhares de vezes tê-lo alcançado à morte, ele permanece firme e bem mais forte.

A cada lugar que vou, gosto muito de sua beleza triste, onde, através de uma janela, ou entre os escombros, a luz do Sol vem de uma maneira confortante. Mas, não há esperança nesse mundo, tudo é morte, tudo é mal. Porém, estou ali na tentativa de acabar com o mal, que assola esse universo encantador de Dark Souls.

De repente, em meio à batalha, vem um aviso de que alguém invadiu o meu mundo. Um inimigo vindo de algum lugar do nosso planeta Terra, com más intenções. Ele quer a minha alma. Parado onde estou, fico à espera desse ser hostil. Lá está ele, munido com uma longa espada e um forte escudo. Diante de mim, ele faz um ritual de nobreza como um respeitoso cavaleiro. Assim, faço o mesmo, e ergo meu escudo, para me proteger de seu primeiro ataque.

Nada é fácil nesse universo obscuro, onde uma distração e um golpe certeiro tiram completamente sua vida, permitindo, assim, mais vantagem para o seu inimigo. Você tem que estar atento aos seus movimentos, e saber se desviar de seus ataques. As chances de perda são extremas, mas seu instinto fala mais alto, e com bravura você dá uma série de golpes sem permitir que o inimigo lhe fira, e assim, mais uma grande conquista você obtém para tornar-se mais forte.

No final de cada jornada, você se depara com uma entrada coberta por uma névoa. Se atravessá-la, não terá retorno, algo muito além de suas forças está a sua espera. Se tiver coragem, entre e enfrente, mas, caso contrário, você tem a chance de pedir ajuda. Sim, basta colocar sua assinatura no chão, e esperar que alguém desse universo chamado internet venha em seu socorro. Mesmo com mais três amigos não é sinal de sucesso, pois o inimigo que o aguarda não tem misericórdia.

Há uma história a seguir. Entre nobres e plebeus, em tudo há um motivo para que você siga em frente. Porém, se mesmo em algum momento desejar ir à caça de almas, você tem o direito de invadir o mundo alheio.

Sou um jogador solitário em meio aos horrores de um mundo cheio de medo e desamor. Mas jamais desisto. Posso ser derrubado, mas, a insistência e a coragem me fazem caminhar sem medo para finalizar uma obra prima da indústria dos jogos eletrônicos.