Uma Quinta-Feira Qualquer

Por paulohenrique

Hoje, 15 de setembro de 2016, é uma quinta-feira qualquer. No momento em que começo a escrever este texto, a faxineira, que é uma pessoa muito amável, saiu do quarto, deixando a porta aberta, para pegar algo e retornar logo em seguida. Nesse instante da porta aberta, ouço o som de um carrinho, anunciando a chegada do almoço. Bem, são 11h47 da manhã, momento em que o aroma que desperta a fome enche o ambiente. Agorinha mesmo, a amada faxineira passa os últimos toques de uma toalha no chão e se despede deixando eu e a Eliana a sós.

Eliana está quieta, lendo algum livro, ou escrevendo em seu celular, não dá para eu ver o que ela esteja fazendo. Por falar em Eliana, ela também vive aqui no hospital comigo, desde seus 2 anos de idade. Ela não tem movimento nenhum em seus membros superiores e inferiores mas, nada a impede de fazer praticamente de tudo com uma espátula de madeira na boca, e até escreveu um livro, sua autobiografia, entitulada “Pulmão de Aço”. Momentos antes de começar a escrever, eu li mais algumas páginas de um imenso livro, parando na página 1057 de The Lord of The Rings, sim, em inglês mesmo, e estou muito feliz de poder entender as mais de 1000 páginas anteriores; não completamente, mas sim de uma forma de encontrar nas aventuras de Frodo, detalhes marcantes da jornada do tão poderoso anel.

Pausa para o almoço…

Estou aqui novamente, procurando que caminho seguir nas próximas palavras, compartilhando de minha vida, de minhas ideias, vontades e desejos. Hoje seria um dia de eu disponibilizar um novo vídeo no meu canal do Youtube, mas, como terça-feira passada publiquei o último vídeo da minha aventura na Brasil Game Show, deixei para a semana que vem a oportunidade de filmar algo legal que permita às pessoas sentirem-se felizes com o que possam ver. Muitas vezes, é difícil criar algo com que muitos possam ficar satisfeitos, ma, ao menos tento, e acredito que eu esteja indo pelo caminho certo.

 

Por falar em vontades e desejos, estes são sentidos que, apesar de meus limites, estão acentuados em mim. Eu somente não ando, e de resto sou completamente normal. Já vivi amores e desamores, conquistas e frustrações. Marcas estas em minha vida que um dia poderei expressá-los em livro, e expor um Paulo que vai mostrar que sou muito mais do que possam imaginar. Não sou somente o melhor amigo ou irmão, e sim, dentro de mim há aquele homem que aprendeu com a vida, a dedicar tudo de um romance forte e verdadeiro, sempre em busca de ofertar um mundo totalmente novo para quem realmente um dia desejar conhecer.
Não sou perfeito, longe de mim ser, mas, em meio aos meus erros há acertos que podem ficar para sempre presentes na vida das pessoas que se permitam me conhecer além da imagem que se mostra em suas frentes.

Eu quero muito poder ofertar este pedaço muito forte de mim, mas existe uma névoa escura que muitos, ao invés de se permitirem caminhar, preferem dar passos para trás, abrindo mão de algo que poderia surpreender. Enquanto há vida, há riscos, e são estes que nos impulsionam a enfrentar e viver.
Percebo que estamos em um momento muito estranho. Preferimos entrar em nossas conchas e não querer saber de quem está em nossa frente. Isso beira ao ridículo, pois estamos jogando fora a felicidade. Não digo que eu seja esta felicidade, mas sim que a felicidades está em tudo que almejamos, e se dermos as costas para aquilo em que podemos encontrar a felicidade, matamos uma parte de nós.

Entendo quando, de repente, muitos vêm a mim dizendo de seus medos de me magoarem, por não terem como corresponder aos meus sentimentos, pois foram antes de mim, magoadas. Bem, mesmo em meio às guerras sentimentais que existem na vida de todos, continuarei lutando a minha, na esperança de sair vencedor.