As mães nunca morrem

Por Folha

Minha MãeTudo, antes de seu início, tem um sentimento que dá vida a todas as coisas. Este sentimento harmoniza o universo e se espalha em distâncias incalculáveis. O sentimento mais forte que tudo que possa existir. O amor.
Da luz à escuridão –essa união feita pelo amor– surgiu a matéria, surgiu a força e a grandeza. Dessas três sementes surgiram os principais elementos que regem a vida: o fogo, a terra, a água e o ar. Da mistura desses elementos, nasceu a mais bela das criaturas humanas, a mãe.

Dela nascemos. Dela respiramos o sopro da vida. Dela crescemos. E dela, partimos para o nosso mundo.

Não existe maior maravilha do mundo, o amor que as mães dedicam aos seus filhos. Este sentimento é inquebrável, por mais rebeldes que sejamos. Aliás, a própria mãe natureza recebe de muitos de nós injúrias que somente vêm para nos prejudicar, mas ela mesma age de maneira sábia, para não permitir a nossa extinção.

Há sempre momentos de desconforto que nos cercam, e estes nos permitem agir de maneira impensável, onde ofendemos e hostilizamos nossos irmãos mais próximos. Mas as mães estão nessa Terra para promover o amor, na conquista da paz e harmonia a todos os seus filhos, para que possamos ofertar um futuro de muita paz e amor.

Porém, infelizmente, as mães não tem o poder de decidir os caminhos que seus filhos escolhem trilhar. Estes acabam entrando na vida com o sentimento de grandes conquistadores. Com espadas erguidas, acreditam estar prontos e fortes para sua grande batalha. Nesse mundo o mal também habita, e, como um fantasma que caminha sedento por vidas, este sempre contamina a alma de um filho desgarrado.

Durante sua dura batalha, este filho, como um soldado dentro de uma pesada armadura, sofre ataques inesperados de outros tantos que também estão em suas guerras. Em certos momentos, a fraqueza lhe espera, e quando desconsolado, sem quase esperança, eis que surge ao seu lado quem lhe renova a vida, a força e a coragem. Alimentada de grande amor, sua mãe lhe compartilha desse sentimento ardente, presente maior do que o fogo, para lhe dar a máxima certeza de que sempre estará presente. Onde quer que este filho deseje estar, ela sempre estará ao seu lado, até mesmo na morte.

Eu mesmo me sinto abatido nas duras batalhas que a vida me propõe. Quando nasci, dois dias depois minha mãe partiu. Mas, ao mesmo tempo, tenho a fé que ela está ao meu lado, lendo essas palavras que escrevo em sua homenagem. Dedico aqui minhas palavras de amor a todas as mães em que o amor existe de forma extrema, que sempre nos têm como eternas crianças e onde devemos sempre estar protegidos, no abraço acalorado embaixo de suas asas.

As mães não morrem. Por mais que sintamos sua ausência, ela sempre está presente nos nossos momentos de agonia e desespero. As mães sempre nos consolam quando estamos em meio a multidão, nos sentindo sós.

Mãe, já errei muito, e provavelmente continuarei errando. Mas hoje permito que o pensar antes de agir seja o escudo que me mantém na defesa. Procuro ouvir antes de falar e, mesmo estando errado, assumo meus erros diante de quem quer que seja. Após assumido o erro, peço ao meu irmão ferido o perdão. Como um cavaleiro ajoelhado diante de alguém maculado por ser hostilizado, fico no meio do salão da corte, ofereço todas as honrarias aqueles que testemunham as imperfeições de meu coração.

Mãe, não sou perfeito. Longe de mim ser, pois estando aqui, sendo seu filho, tenho que aprender, tenho que lutar, e tenho que conquistar. Realizar nossos sonhos é o principal motivo de nossa vida, manter o amor em nossos corações é manter a chama acesa na certeza de nossa vitória, sempre acompanhados do ventre de onde saímos, nossas eternas mães.